A CAIXA PRETA

A CAIXA PRETA

 

Edvaldo da Silva, 19 anos e Elizeu Freitas, 18 anos, colecionaram vários assaltos bem-sucedidos. Num assalto a uma casa lotérica acabaram dando-se mal. Pediram várias cartelas e tentaram a sorte. Passados uns minutos anunciaram: é um assalto! Recolheram o dinheiro do caixa e dos fregueses e fugiram. Horas depois foram presos.

A POLÍCIA garante que não existe o crime perfeito, sempre sobra alguma pista. No caso, os dois assaltantes haviam preenchido corretamente a cartela do jogo e, através dela, a polícia chegou a sua casa. Com eles estava o dinheiro da casa lotérica e os pertences das vítimas.

OS AVIÕES carregam consigo a chamada caixa preta. Ela registra o que acontece no bordo. Nos acidentes aviatórios, a caixa preta revela as circunstâncias e as causas do desastre. Algo parecido existe no ônibus. É o tacógrafo que registra os incidentes do percurso. Nós também carregamos conosco uma caixa preta. É a consciência que registra tudo o que acontece e suas circunstâncias.

QUANDO é que sabemos se estamos agindo certo ou errado? É nossa consciência que julga nossos atos e faz que tenhamos o conhecimento de estarmos agindo de uma forma correta ou errada. Mas, é possível que a consciência de todos tenha o mesmo julgamento dos comportamentos? Aquilo que minha consciência diz que é bom a do outro não poderá dizer que é mal?

A BÍBLIA nos dá uma resposta segura para essas dúvidas. Deus nos criou à sua imagem e semelhança. A consequência disso é impressionante: de certo modo, participamos das qualidades divinas. Nossa consciência é o eco da imagem e semelhança divinas que residem em cada um de nós. Deus é o bem e nossa consciência é capaz de nos dizer o que é bom. Deus é a oposição radical ao mal e nossa consciência é capaz de nos indicar o que é mal.

NOSSA consciência é a voz do Criador no coração da criatura. Ela é a voz de Deus em nós. É o farol seguro a orientar nossas atitudes segundo a vontade de Deus. Por isso, a vida supõe seriedade e responsabilidade para formar retamente a consciência. A pessoa não deve considerar-se juíza de todos os valores, porque, é por Deus, que conheceremos tudo que é certo. “E Deus criou o homem e a mulher à sua imagem e semelhança”. (Gn 1,27).

 

Dom Itamar Vian
Arcebispo Emérito
[email protected]

Crônicas da Semana – 19 de outubro de 2021

Compartilhe :

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

instagram

facebook