Carta aos Paroquianos da Catedral de Sant’Ana no Ano Jubilar

Catedral Metropolitana de Sant’Ana
Arquidiocese de Feira de Santana – Ba
www.catedraldesantana.com.br
Ano Jubilar dos 175 da Paróquia de Sant’Ana no Ano de São José

Estimado(a) Paroquiano(a),

 

Neste ano celebramos o Ano de São José, convocado pelo Papa Francisco com a Carta apostólica “Patris corde – com coração de Pai”, do dia 08 de dezembro de 2020 ao dia 08 de dezembro de 2021, marcando os 150 anos que o Papa Pio IX proclamou São José Patrono da Igreja Universal. O Papa Francisco com essas palavras o descreve: “São José… Pai amado, pai na ternura, na obediência e no acolhimento; pai com coragem criativa, trabalhador, sempre na sombra”.

Neste ano do Jubileu dos 175 anos da Paróquia de Senhora Sant’Ana dos Olhos d´Água da Feira, marcados profundamente pela Pandemia do Covid-19 que nos desestabilizou, mas também nos levou a resgatar a “Domus Eclesiae”, a Igreja doméstica nos nossos lares, fazendo da casa de cada um de nós uma Catedral, voltamos a redescobrir a importância e a centralidade da Palavra de Deus; o valor e a força do Ano Litúrgico como lugar do Kairós de Deus na nossa vida familiar e a perceber a grandiosidade e a importância da vida fraterna que se experimenta na comunidade e que tanto nos faz falta.

Estamos vivendo tempos difíceis, desafiados pelo coronavírus que no dia 18 de março de 2020 nos fez fechar as portas da nossa Catedral e das igrejas e perceber o quanto somos frágeis e susceptíveis ao ritmo da história, e mais de seis meses depois, vimos um sinal de esperança com as portas abertas, mesmo que com redução considerável de fiéis, para celebrarmos a Santa Missa. Passaram-se dias, meses, mais de um ano e percebemos que precisamos assumir o nosso protagonismo de Discípulos do Senhor e sermos Igreja Doméstica, a “Domus Eclesiae”, como os primeiros cristãos, não mais reclusos por causa da perseguição aos cristãos, mas por conta do COVID-19.

Vivemos, ao longo deste tempo, cada dia na Fé que nos sustenta, na Esperança que nos faz esperar dias melhores e sob o cuidado de Deus e na Caridade tornando concreto o amor ao próximo com o cuidado que se manifesta no distanciamento social, na observância dos protocolos e na oração em família, e das nossas casas, nos unimos a nossa Catedral.

Desde 2016 nos colocamos no caminho da conversão pastoral sendo uma Comunidade Eclesial Missionária. Infelizmente, por conta da Pandemia, tivemos que nos contentar em entregar a Deus nossos projetos e aprender a esperar e ler os sinais dos tempos. Ao longo desse tempo desafiador, em que estamos vivendo, passos precisaram ser dados na nossa Igreja Arquidiocesana e mesmo sem ser possível o encontro, a fraternidade, a preparação e a confraternização, nos foi pedido de nos abrir a necessidade da Igreja de Feira de Santana e, outra vez, a partir das nossas comunidades do Dispensário Santana, Serraria Brasil e Beato Pierre Vigne, gerar outra Paróquia a de N. Sra. do Carmo no dia 01 de fevereiro de 2021.

Quando, passado o primeiro mês de 2021, estávamos mais esperançosos e nos preparando para nos reunir enquanto Igreja Paroquial da Catedral para programar o Ano de 2021, fomos surpreendidos com uma segunda onda da pandemia, e assim vamos compreendendo que só Deus é nosso sustento, só Jesus é nosso porto seguro e que se Ele está no nosso barco, se estamos junto d’Ele, não precisamos temer a nada.

Assim, queremos ser a Igreja reunida pela Unidade da Trindade (Cf. Prefácio do Missal Romano), buscando nos deixar tocar e renovar pelo Amor do Pai que em Cristo Jesus, na Ação Fecunda do Espírito Santo, nos faz Igreja na Catedral de Sant’Ana. Sempre à Escuta da Palavra, Nosso Senhor Jesus Cristo, o Neto de Sant’Ana, celebrando na Liturgia e testemunhando na caridade o Seu Mandamento do Amor, sendo uma Comunidade Eclesial Missionária em um caminho Sinodal.

Conclamamos a todos vós, filhinhos e filhinhas, para abraçarmos com afinco a nossa Missão de Discípulos Missionários na nossa família; testemunharmos na nossa Cidade que Cristo está Vivo e que Ele é o Rosto Misericordioso do Pai e gritarmos, com nossa vida, pela força e potência do Espirito Santo, que: Deus é Amor, Ele nos Ama e que Ressuscitou e quer nos Salvar amando-te.

Em Cristo Jesus, Vivo e Ressuscitado, sob a proteção de Senhora Sant’Ana.

Dado na Catedral de Sant’Ana, no dia 30 de maio de 2021, Solenidade da Santíssima Trindade

Pe. Arivaldo Aragão Vitória
Pároco

Compartilhe :

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

instagram

facebook