Santa Missa do 28º Domingo do Tempo Comum

Neste 28° Domingo do Tempo Comum, 11 de outubro, presidiram, respectivamente, as celebrações eucarísticas das 7, 10 e 17h, o vigário paroquial Pe Edmilson, o pároco Pe Arivaldo Aragão e o vigário Pe Aristóteles, na Catedral de Sant’Ana.

A liturgia deste domingo, véspera da solenidade da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, utilizou a imagem do “banquete” para descrever o mundo de felicidade, de amor e de alegria sem fim que Deus quer oferecer a todos os seus filhos. O Senhor que põe fim a desonra do povo, prepara-lhes um banquete em sua casa para celebrarem a Salvação. A Igreja missionária, por sua vez, compartilha as dificuldades da humanidade e anuncia a alegria e a esperança do Evangelho pelas ruas encruzilhadas, convidando a todos para que, vestindo trajes de festas, façamos parte da comunidade esposa de Cristo.

Pe Edmilson acolheu a comunidade presente na Catedral, os radiouvintes das Rádios Subaé e São Gonçalo, bem como os internautas que acompanham a celebração dos seus santuários domésticos e que, na manhã deste domingo, se reuniu para escutar a Palavra de Deus.  “Esse Deus que nos ama, que entregou seu único filho por amor a nós e que, hoje, nos prepara um banquete e nos convida para adrentarmos a sua casa e sentarmos à mesa com ele”, motivou o presbítero.

O Pároco Pe Ary destacou em sua homilia, às 10h, que esse ano litúrgico nos conduz pelo caminho de São Mateus. “É ele que nos faz companhia para aprendermos de Deus […] a como escutamos a chamado do Senhor para participar do seu banquete, a como estarmos no banquete de Deus e a como vivermos para experimentarmos a graça que esta nova vida e esse banquete nos dá”, orientou. Em seguida, citando São Jerônimo, afirmou que “a gente fala com Deus pela oração e Deus fala conosco pela Sua Palavra”.”E como precisamos escutar a Palavra de Deus!”, exclamou o pároco, explicando que o modo mais eficiente de escutarmos o Senhor é a leitura litúrgica que acontece na assembléia dos batizados sob a ação do Espírito Santo e na presença do Ressuscitado.

Finalizando as reflexões deste 28° Domingo, Pe Aristóteles salientou que “felizes os que estão devidamente vestidos ou com os trajes adequados para participarem do banquete do Senhor”, meditando sobre quais seriam essas vestes ou trajes mais adequados? As vestes da bondade, da comunhão com Deus, da verdade e do amor. “Não se trata aqui de roupas, mas as vestes que nos identifica com o nosso Deus”, esclareceu o vigário.

Compartilhe :

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

instagram

facebook